História de Nova York

Inicialmente ocupada por povos indígenas nativos do continente americano, a região foi estabelecida pelos holandeses como uma pequena cidade e centro comercial de trocas durante o século XVII, sendo conhecida como "Nova Amsterdã". Porém, após uma guerra entre a Inglaterra e a Holanda pelo domínio dos Estados Unidos, os ingleses saíram como vencedores e passaram a colonizar a costa leste do país, período no qual a cidade também começou a se chamar oficialmente Nova York.

Durante a colonização inglesa, que durou aproximadamente um século, a cidade começou a se desenvolver de forma impressionante, atingindo o status de um verdadeiro centro cosmopolita, de acordo com os padrões da época. Com a construção do porto, a região se tornou um importante centro de trocas comerciais, o que favoreceu o seu enriquecimento e também contribuiu para que os ideais de independência surgissem entre a população local.

Já no século XIX, após os Estados Unidos terem vencido a Guerra de Independência, a cidade começou a se modernizar de forma gradual e crescer territorialmente. Esse movimento começou em 1883, com a inauguração da famosa Ponte do Brooklyn, a qual foi de grande importância para a história nova-iorquina pois serviu para ligar a ilha de Manhattan com a cidade do Brooklyn. Anos mais tarde, em 1898, as cidades Brooklyn, Queens e Bronx deixaram de ser municípios independentes e foram anexadas a Nova York, o que tornou a cidade uma das maiores do mundo, com cerca de três milhões de habitantes.

Uma grande parcela da população da cidade era composta por imigrantes europeus, vindos principalmente da Inglaterra, Itália e Irlanda, os quais contribuíram na diversificação da cultura nova-iorquina. Foi ainda nessa mesma época que a cidade recebeu grandes obras estruturais como a construção de pontes e também do metrô, que se tornou indispensável por interligar as regiões mais distantes com os pontos centrais.

Durante as primeiras décadas do século XX, a cidade permaneceu se expandindo, tendo seu crescimento desacelerado apenas no início dos anos 30, devido a Grande Depressão. Para contornar a crise, a prefeitura incentivou as empresas privadas a investirem na construção dos arranha-céus, o que ajudou a modernizar a cidade e foi responsável pela inauguração de edifícios importantes até os dias de hoje, como o Chrysler Building e o Empire State Building.

Após se recuperar do período de crise, Nova York se estabeleceu definitivamente como o centro da indústria financeira global, com a Wall Street, e também como um dos maiores centros culturais do planeta, pois recebe pessoas de todas as partes do mundo, o que garante uma diversidade sem precedentes.

Tudo isso faz com que a cidade permaneça todo ano entre os destinos turísticos mais visitados do planeta. Além dos cartões-postais famosos como a Estátua da Liberdade e o Central Park, a cidade também é conhecida pelos incríveis espetáculos da Broadway, pelas lojas de grife da Quinta Avenida e pela grande riqueza histórica e arquitetônica presente nos prédios e museus nova-iorquinos.

Agora que você já conhece um pouco da História de Nova York, vamos entender como a cidade está organizada, seus distritos, bairros e como você poderá aproveitar muito a sua viagem!

Próximo artigo: Nova York